Trazendo uma guitarra do exterior

Quando eu quis comprar minha Fender no exterior, fiquei super aflita pesquisando como trazer uma guitarra no avião e encontrei pouquíssimas informações. Então resolvi fazer este post relatando como foi trazer uma guitarra dos Estados Unidos.

Comprei minha Fender em Setembro/2013 na Guitar Center  de Orlando (mude o seu país para Estados Unidos no canto superior direito para ver todos os modelos que eles têm).  Eu quis ser bem precavida e comprei um hard case e um bag. Por que?

Trazendo uma guitarra do exterior

* Se você coloca a guitarra num hard case eles vão te obrigar a despachar (e o hard case tem que vir destrancado ou eles arrombam o case[tive um amigo com o case arrombado]).

* Se você coloca no bag (ou soft case como alguns chamam) eles te deixam trazer a guitarra como bagagem de mão e você precisa colocá-la no bagageiro em cima das poltronas. Ouvi dizer que em algumas cias aéreas as aeromoças guardam em um compartimento especial delas lá no fundo do avião ou em um armário onde os comissários guardam seus paletós. Isso não aconteceu comigo.

O embarque

Eu estava morrendo de medo de comprar só o bag e chegar na hora de embarcar eles me mandarem despachar minha guitarra totalmente desprotegida e como eu queria ter um hard case de qualquer forma para guardá-la aqui no Brasil  (e aqui custa relativamente caro), resolvi comprar o bag (U$29) e o hardcase (U$100).

Chegando no aeroporto de Orlando eu conferi com a moça da Avianca (Cia aérea que eu viajei) e ela confirmou que se estivesse no bag eu poderia usá -la como bagagem de mão.  Despachei o hard case vazio e destrancado. Se eles não tivessem deixado eu colocaria a guitarra no hard case e despachava. Ainda bem que não precisei fazer isso.

Dicas:

Dica 1:  Evite sempre que puder despachar a guitarra. Se ainda não está convencido de que deve levá-la com você na cabine do avião é a melhor saída.

Caso eu ainda não tenha te convencido e você quer mesmo ser vida louca e despachar a sua guitarra, pague o seguro no momento do check in onde o cara embala um violão para uma viagem de avião.

Dica 2: Chegue cedo para o embarque e tente ser um dos primeiros a entrar no avião para arranjar um bom espaço para ela no bagageiro.

Dica 3: Reserve uma poltrona que fique no corredor, assim você consegue ficar mais perto da guitarra durante o vôo (neurótica mode on) e você garante que será o primeiro a abrir o bagageiro na hora da chegada. Lembre-se que o avião balança e ela pode ter saído do lugar, cuidado na hora de abrir.

Dica 4: Leve plástico bolha e durex daqui do Brasil e a embale bonitinha no hotel antes de colocá-la no bag e curta um bom filme cosplay.

Dica 5: Guarde muito bem a nota fiscal da guitarra na carteira, bolso ou mochila.

Dica 6: Se você despachar a guitarra (ou hard case vazio, como eu fiz) você terá direito de despachar apenas mais uma mala ao invés de duas.  (isso para Estados Unidos, Europa eu já não sei). Então controle seu volume de compras.

Dica 7: Na hora que eu fui despachar o hard case vazio, não pude fazer isso no balcão normal. Fui encaminhada para outro balcão de oversized bag (por ele ser grande) e já tive que entregar na mão do policial. Ele apenas questionou se estava destrancado e pronto. Sem dramas.

Dica 8: Se você puder, embale o hard case naqueles wraps de plástico, em Orlando fica do lado de hora do aeroporto. Tem algumas empresas que você contrata e eles vão fazer direto no seu hotel e fica mais barato. Pesquise antes de ir. Eu não fiz isso, fui burra e preguiçosa e além de meu case dar um duplo twist carpado na esteira e cair no chão (mais uma razão para você não despachar a guitarra, já pensou se a minha estivesse lá dentro?) ele chegou com MUITOS riscos.

A Alfândega

Nossa alfândega é uma roleta russa. Não sou música profissional e comprei a guitarra para meu lazer. Se você for músico profissional leve a sua carteira que comprova isso. Não vai garantir que você não será taxado porque a alfândega não tem critério nenhum e dizem que é lenda urbana isso de que com a carteira da OMB você não será taxado e eu nunca fui atrás para averiguar esta informação…. mas eu tentaria.

Caso você seja medroso,  já declare a guitarra e pague o imposto. (Será de 60% do que exceder a U$500 no total dos eletrônicos comprados).

Apesar da guitarra ser Fender, meu bag era da Gibson…. era o único que tinha na loja. Eu queria um todo preto para evitar chamar atenção (já que todo mundo sabe que Fender e Gibson tem um precinho mais elevado). Na hora de passar eu tirei a guitarra das costas e passei com ela para baixo, segurando igual se segura uma maleta , com  a estampa da marca virada para dentro.

Se possível, passe do lado de uma pessoa que está cheia de malas. A chance será maior de eles pararem essa pessoa do que você. E evite passar na hora que a fila está vazia.

Eu segui esses dois conselhos acima, passei pelo “Nada a declarar” e não fui parada pela alfândega. Se foi sorte ou não….já não sei.
Tenha a nota fiscal da guitarra com você, caso você seja questionado.

Não adianta na loja pedir para fazerem uma nota fiscal com valor mais baixo do que o real, porque os fiscais  pesquisam na internet os valores NA HORA.

Se alguém tiver mais alguma dúvida, pode deixar aí nos comentários.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *